As Mil e Uma Noites - Um livro com muitas aventuras!

Quando você começa a ler, não quer parar mais...

Visitantes

terça-feira, 23 de novembro de 2010

As Aventuras de Simbad, o Marujo

   Em Bagdá vivia um carregador muito pobre chamado Hindbad. Certo dia, fez uma entrega pesada e teve de ir até a outra cidade. Ele foi e quando chegou lá, viu um palácio lindo, ficou encantado, e viu um homem que protegia o belo palácio e o mesmo falou que o palácio admirado pelo Hindbad era do famoso navegante dos percorreu todos os mares iluminados pelo sol. Nisso, perguntou se ele conhecia Simbad.
   Como o mercador tinha ouvido falar que Simbad ficava aproveitando suas riquezas e a sua felicidade, se perguntou o que ele fez para merecer aquele destino desgraçado e ficou impressionado por Simbad ter tudo o que tinha por nenhum esforço.
   O homem que protegia o palácio, disse que o Simbad queria falar um pouco com Hindbad, e o mercador tentou escapar, pois ficou com medo de Simbad lhe castigar por ter dito aquilo.
   O homem não permitiu, Hindbad mesmo com medo foi, viu um homem com as barbas brancas diante a uma mesa com um grande banquete e cheia de criados ao seu redor.
   Simbad chamou o pobre carregador, e ele foi até ele, serviu-se e, logo após, Simbad disse que ouviu o que ele tinha dito lá fora, se desculpando, pois não tinha culpa se era aquela a sua sorte, porém Simbad sofreu muito para poder conseguir tudo aquilo.
   Disse tudo sobre as suas aventuras no mar. Disse que o seu pai aprendeu muito com Salomão e disse para Hindbad uma frase: ''É menos triste estar no túmulo do que na indigência".
   Simbad uniu-se com alguns mercadores que negociavam em pleno mar. Ficou fraco com a luta no mar, procurou ervas comestíveis e encontrou algumas. Contou histórias que aconteceu realmente com ele, que ele sofreu, e logo quando terminou perguntou se ele conhecia alguém que sofreu tanto quanto ele, e Hindbad respondeu que ele merece realmente o que tem, aliás, que ele merecia muito mais do que aquilo, pois sofreu muito, e lhe desejou ser feliz até o fim de seus dias.
   Simbad sempre bondoso, deu cem moedas para o pobre carregador, como se fosse um amigo, e pediu para abandonar seu trabalho e viesse banquetear com ele todos os dias.

Um comentário: